Dragões de Éter – 3 – Raphael Draccon

circulo-de-chuva-volume-3-drages-de-ter-raphael-draccon-1-638

O fechamento da história, sendo uma série fantástica onde todas as histórias são interligadas, alguns poderiam ter sido melhores trabalhados, como o fato da chapelzinho ser uma Bruxa ou coisas do gênero, contudo, levando em consideração a incrível complexidade de conseguir colocar vários contos infantis em ligação com outros o autor conseguiu construir um enredo sólido.

Como um todo a série é bem interessante, leve, leitura rápida por mais que sejam 3 livros, o mesmo é de leitura simples e direta, aconselharia o mesmo principalmente para quem esta tentando criar o hábito da leitura, por não ser algo que vá exigir uma maior dedicação para a continuação do mesmo, diferente de obras mais pesadas.

 

Dragões de Éter – 2 – Raphael Draccon

Dragões de Éter - 2 - Raphael Draccon
Dragões de Éter – 2 – Raphael Draccon

A segunda parte da história onde os personagens passam por provações ainda mais complicadas do que no anterior, a família real perde seu Rei e o filho mais velho de Primo acaba assumindo como Rei de Arzallum, ele foi treinado como já comentado durante toda a vida por aquele momento, porém a situação em que foi coroado, com o assassinato de seu pai e com o irmão que ele ainda tem assuntos pendentes acaba tornando tudo mais complicado.

Decisões difíceis acabam sendo tomadas e a tensão no segundo livro é bem maior que a anterior, juntamente com os acontecimentos trágicos veio uma surpresa, visitantes de um pais distante do oriente vieram trazendo vários itens de tecnologia desconhecidos pelos habitantes locais, tecnologia que se baseia em ciência e a mais pura magia, tornando tudo mais atrativo e perigoso.

As coisas se tornam mais tranquilas quando se inicia o grande torneio de pugilismo fazendo com que a paz (momentaneamente) reinasse entre inimigos antigos, tudo pelo esporte, com o tempo claro que a tensão antes apenas politica acaba indo para os ombros dos lutadores de cada pais.

Em paralelo ao torneio, duas antigas sociedades de assassinos ganham vida nova, atraídos por um ex prisioneiro libertado por um pedido do novo rei, as coisas se tornam ainda mais complicadas com a presença cativante do grande ladrão que roubava dos ricos para dar aos pobres.

O livro como um todo é bem interessante, como já havia comentado a maneira com que os contos vão se conectando é bem interessante, ainda acho que existem muitos momentos de “filosofia” desnecessários que fazem com a tensão e atenção para a historia em si se perca levemente, mas isso não é nada comparando com o mundo criado e pela personificação dos personagens.

Mentes Brilhantes, Mentes Treinadas – Augusto Cury

Mentes brilhantes, Mentes Treinadas - Augusto Cury
Mentes brilhantes, Mentes Treinadas – Augusto Cury

Este gênero de literatura não é muito apreciado pela maioria como muitos devem saber, porém os livros do Augusto Cury são relativamente diferentes da maior parte dos autores. Ele consegue entrar e se expressar de uma maneira direta e ao mesmo tempo profunda nos conceitos do cotidiano mostrando por meio de fatos e situações a real importância da maneira que pensamos e agimos.

“Mentes Brilhantes, mentes Treinadas” mostra a necessidade e como se conseguir exercitas esse “músculo” que nós faz ser quem somos, neste livro ele mostra a grandeza que uma mente pode atingir e o principal como se tornar próximo ao objetivo. O autoconhecimento quebra paradigmas e principalmente nos permite chegar a um nível de superior indiferentemente de qual for a situação.

Mostra quais são as fraquezas e como conseguir superar as mesmas, eu indico o livro absurdamente, é uma leitura rápida porém que pode e terá um alto impacto na sua maneira de pensar e agir.

 

Uma pessoa inteligente aprende com seus erros, uma pessoa sábia aprende com  os erros dos outros.

Angus – Volume III – Orlando Paes Filho

Angus - Volume III - Orlando Paes Filho
Angus – Volume III – Orlando Paes Filho

Comprei o livro a alguns meses, ficou dentre a lista de futuros livros e com isso acabou sendo esquecido, deixei o mesmo de lado lendo livros que me chamaram mais atenção pelas indicações ou até mesmo por cair na besteira de começar a leitura e acabar sendo fisgado pelo desfecho.

O formatado do livro foi a primeira coisa que me chamou a atenção, uma vez que seus anteriores eram maiores e mais complicados para serem manuseados, mas a historia deste é ainda mais complexa e ao mesmo tempo natural. A narrativa caminha por mais de uma geração no livro, voltando ao inicio com o marcante São Columba e indo de encontro com o ultimo descendente do clã dos MacLachlan.

Apesar do livro correr por anos e anos de historia, ocorrendo obviamente pulos de uma geração para outra o livro é conciso e claro, é fácil a compreensão de quem é o protagonista daquele momento em especifico e de onde surgiu. E principalmente diferente dos anteriores o livro não vai tão ao fundo em questão da religião, mostrando que a mesma é algo relevante na história porém não de forma tão clara.

De qualquer forma o livro é muito legal, principalmente por mostrar a historia de uma Escócia que ainda estava se estruturando assim como costumes, guerras, povos e até mesmo a visão de alguns personagens e da aceitação dos mesmos por uma religião teoricamente invasora dentro das “atuais” tradições.

Recomendo a leitura do mesmo, caso não tenha lido os anteriores e tenha oportunidade de ler este, fique tranquilo a compreensão do mesmo é natural, não existe nada muito entrelaçado com os anteriores, mas claro que sempre é interessante a leitura total de uma saga.

Abraço!

Dragões de Éter – 1 – Raphael Draccon

Dragões de Éter 1 - Raphael Draccon
Dragões de Éter 1 – Raphael Draccon

Para a minha surpresa a trilogia do Dragões de Éter foi uma das melhores que li no ano de 2012, ganhei o mesmo numa promoção e como já estava com uma lista de leitura acabei deixando meio de lado, porém para a minha surpresa Draccon conseguiu criar um universo próprio contendo os personagens que toda criança conhece, os contos de fadas foram reescritos e seus personagens ganharam um novo brilho, conseguiu trazer as lendas para uma forma mais humana e mais complexa, literalmente ele deu vida.

A primeira etapa da história nos apresenta os personagens principais, assim como parte de suas experiencias, também explana mais sobre o que seria a caçada as bruxas e como foi o surgimentos das mesmas, a ideia geral seria que elas eram fadas que decaíram e com isso se tornavam serem malévolos que faziam rituais horríveis contendo sacrifícios humanos dentre outras barbáries.  Contudo após as caçadas surgiram movimentos de grupos de adoradores e esses seres das trevas que estão novamente se erguendo contra o reino de Primo (o grande rei que comandou as caçadas originais) e é com essa base que a história se inicia.

Existe uma ligação que vai se formando entre os principais personagens que numa primeira parte aparentam não ter nenhuma relação, esta ligação se faz de uma forma natural e isso é a parte mais complicado e feita com um cuidado digno de um grande autor. Na minha opinião esta ligação entre os personagens é o que torna o livro algo digno de ser recomendado pois se ele não tivesse tido o cuidado que teve seria um grande desastre uma vez que os contos dos quais ele se baseou não tem e nem (em alguns casos) poderiam ter uma relação direta por conter povos, linguas e seres de um mundo distante ou de cultura diferente.

Apesar de ter um pouco de “conceitos filosóficos” demais a historia é muito legal e viciante, aos amantes de fantasia este livro será um prato saboroso.

O vampiro rei 2 – André Vianco

O vampiro rei 2 - André Vianco
O vampiro rei 2 – André Vianco

O ultimo livro da serie do Vampiro Rei, nesta ultima etapa Lucas já é tratado com respeito e admiração por todos e vai finalmente para a guerra contra o exercito dos “malditos”, contando com uma ajuda inesperada e sempre ao lado de seus Bentos e bravos soldados humanos ele cria uma estrategia para a destruição das forças principais do vampiro rei que fica a cada momento mais organizado e em constante crescimento.

Contudo a chegada do Vampiro Rei e seus guardas pessoais acaba mudando as variáveis da historia e com isso ocorre uma memorável reviravolta, e se inicia o verdadeiro desenrolar .

A Ideia principal do livro assim como o seu final foram bem interessantes, até mesmo levando em consideração que normalmente, em minha humilde opinião, o autor tem o costume de se perder nos finais. Também é importante ressaltar que o livro deixou no ar uma possível continuação.

Esta recomendadíssimo, principalmente pela história se desenvolver em território brasileiro.

O vampiro rei 1 – André Vianco

O Vampiro Rei - Vol. 1 - André Vianco
O Vampiro Rei – Vol. 1 – André Vianco

Lucas o bento esperado passa de apenas um guerreiro que não entende o mundo em que acaba de acordar para se tornar o líder de todas as fortificações humanas. As batalhas se tornam mais intensas e o verdadeiro vilão começa a mover suas peças, a trama começa a se entrelaçar e as forças dos vampiros ganham também um novo líder. Mesmo mediante a toda a responsabilidade que é depositado nas costas de Lucas ele meio que na defensiva acaba  aceitando com coragem e se mostrando a cada momento do Livro ser nobre e forte fazendo com que os orgulhosos bentos se tornem  leais a ele começando assim a realizar as profecias tão esperadas.

Apesar de achar que o autor costuma se perder nos finais de seus livros, até o momento esta se desenrolando de uma forma bem interessante, Lucas conquistando o espaço e assumindo o seu papel como líder de uma forma natural, fazendo o que diziam ser impossível e com isso conquistando  aliados que antes estavam desgostosos com o seu surgimento.

A segunda parte da história vem como um agravante do enredo atual, o vampiro rei começa a ganhar força em meio aos Vampiros que começam a ficar perigosamente organizados, contudo os milagres dão uma nova cara ao livro mostrando uma ponta de esperança aos Humanos. Sem contar que o poder de combate de Lucas é infinitamente superior que as dos outros bentos ele tem praticamente os poderes dos vampiros representado pelos seus olhos brilhantes amarelos, coisa que os demais bentos atuais não possuem e é o único que se mostra capaz de segurar o impeto dos Bentos coisa que era impossível ate então.