Dragões de Éter – 2 – Raphael Draccon

Dragões de Éter - 2 - Raphael Draccon
Dragões de Éter – 2 – Raphael Draccon

A segunda parte da história onde os personagens passam por provações ainda mais complicadas do que no anterior, a família real perde seu Rei e o filho mais velho de Primo acaba assumindo como Rei de Arzallum, ele foi treinado como já comentado durante toda a vida por aquele momento, porém a situação em que foi coroado, com o assassinato de seu pai e com o irmão que ele ainda tem assuntos pendentes acaba tornando tudo mais complicado.

Decisões difíceis acabam sendo tomadas e a tensão no segundo livro é bem maior que a anterior, juntamente com os acontecimentos trágicos veio uma surpresa, visitantes de um pais distante do oriente vieram trazendo vários itens de tecnologia desconhecidos pelos habitantes locais, tecnologia que se baseia em ciência e a mais pura magia, tornando tudo mais atrativo e perigoso.

As coisas se tornam mais tranquilas quando se inicia o grande torneio de pugilismo fazendo com que a paz (momentaneamente) reinasse entre inimigos antigos, tudo pelo esporte, com o tempo claro que a tensão antes apenas politica acaba indo para os ombros dos lutadores de cada pais.

Em paralelo ao torneio, duas antigas sociedades de assassinos ganham vida nova, atraídos por um ex prisioneiro libertado por um pedido do novo rei, as coisas se tornam ainda mais complicadas com a presença cativante do grande ladrão que roubava dos ricos para dar aos pobres.

O livro como um todo é bem interessante, como já havia comentado a maneira com que os contos vão se conectando é bem interessante, ainda acho que existem muitos momentos de “filosofia” desnecessários que fazem com a tensão e atenção para a historia em si se perca levemente, mas isso não é nada comparando com o mundo criado e pela personificação dos personagens.

Angus – Volume III – Orlando Paes Filho

Angus - Volume III - Orlando Paes Filho
Angus – Volume III – Orlando Paes Filho

Comprei o livro a alguns meses, ficou dentre a lista de futuros livros e com isso acabou sendo esquecido, deixei o mesmo de lado lendo livros que me chamaram mais atenção pelas indicações ou até mesmo por cair na besteira de começar a leitura e acabar sendo fisgado pelo desfecho.

O formatado do livro foi a primeira coisa que me chamou a atenção, uma vez que seus anteriores eram maiores e mais complicados para serem manuseados, mas a historia deste é ainda mais complexa e ao mesmo tempo natural. A narrativa caminha por mais de uma geração no livro, voltando ao inicio com o marcante São Columba e indo de encontro com o ultimo descendente do clã dos MacLachlan.

Apesar do livro correr por anos e anos de historia, ocorrendo obviamente pulos de uma geração para outra o livro é conciso e claro, é fácil a compreensão de quem é o protagonista daquele momento em especifico e de onde surgiu. E principalmente diferente dos anteriores o livro não vai tão ao fundo em questão da religião, mostrando que a mesma é algo relevante na história porém não de forma tão clara.

De qualquer forma o livro é muito legal, principalmente por mostrar a historia de uma Escócia que ainda estava se estruturando assim como costumes, guerras, povos e até mesmo a visão de alguns personagens e da aceitação dos mesmos por uma religião teoricamente invasora dentro das “atuais” tradições.

Recomendo a leitura do mesmo, caso não tenha lido os anteriores e tenha oportunidade de ler este, fique tranquilo a compreensão do mesmo é natural, não existe nada muito entrelaçado com os anteriores, mas claro que sempre é interessante a leitura total de uma saga.

Abraço!

O vampiro rei 2 – André Vianco

O vampiro rei 2 - André Vianco
O vampiro rei 2 – André Vianco

O ultimo livro da serie do Vampiro Rei, nesta ultima etapa Lucas já é tratado com respeito e admiração por todos e vai finalmente para a guerra contra o exercito dos “malditos”, contando com uma ajuda inesperada e sempre ao lado de seus Bentos e bravos soldados humanos ele cria uma estrategia para a destruição das forças principais do vampiro rei que fica a cada momento mais organizado e em constante crescimento.

Contudo a chegada do Vampiro Rei e seus guardas pessoais acaba mudando as variáveis da historia e com isso ocorre uma memorável reviravolta, e se inicia o verdadeiro desenrolar .

A Ideia principal do livro assim como o seu final foram bem interessantes, até mesmo levando em consideração que normalmente, em minha humilde opinião, o autor tem o costume de se perder nos finais. Também é importante ressaltar que o livro deixou no ar uma possível continuação.

Esta recomendadíssimo, principalmente pela história se desenvolver em território brasileiro.

O vampiro rei 1 – André Vianco

O Vampiro Rei - Vol. 1 - André Vianco
O Vampiro Rei – Vol. 1 – André Vianco

Lucas o bento esperado passa de apenas um guerreiro que não entende o mundo em que acaba de acordar para se tornar o líder de todas as fortificações humanas. As batalhas se tornam mais intensas e o verdadeiro vilão começa a mover suas peças, a trama começa a se entrelaçar e as forças dos vampiros ganham também um novo líder. Mesmo mediante a toda a responsabilidade que é depositado nas costas de Lucas ele meio que na defensiva acaba  aceitando com coragem e se mostrando a cada momento do Livro ser nobre e forte fazendo com que os orgulhosos bentos se tornem  leais a ele começando assim a realizar as profecias tão esperadas.

Apesar de achar que o autor costuma se perder nos finais de seus livros, até o momento esta se desenrolando de uma forma bem interessante, Lucas conquistando o espaço e assumindo o seu papel como líder de uma forma natural, fazendo o que diziam ser impossível e com isso conquistando  aliados que antes estavam desgostosos com o seu surgimento.

A segunda parte da história vem como um agravante do enredo atual, o vampiro rei começa a ganhar força em meio aos Vampiros que começam a ficar perigosamente organizados, contudo os milagres dão uma nova cara ao livro mostrando uma ponta de esperança aos Humanos. Sem contar que o poder de combate de Lucas é infinitamente superior que as dos outros bentos ele tem praticamente os poderes dos vampiros representado pelos seus olhos brilhantes amarelos, coisa que os demais bentos atuais não possuem e é o único que se mostra capaz de segurar o impeto dos Bentos coisa que era impossível ate então.

 

Rei Édipo – Sófocles

ImageRei Édipo – Sófocles

Escrita por Sófocles em meados de 427 a.C., Édipo Rei é uma peça de teatro grega, pertencenete à Literatura e classificada como uma Tragédia.

A obra trata de um assunto muito polêmico em todo o mundo: O Incesto.

O enredo da história se passa em uma cidade da Grécia antiga chamada Tebas, em frente ao palácio do rei Édipo, sua rainha e suas duas filhas.

Um dos fatores mais interessantes no decorrer da tragédia, é a sensação de confusão que a mesma proporciona ao leitor em seu desenrolar. De início, nada parece fazer muito sentido, mas aos poucos, peças começam a se encaixar como um grande quebra-cabeças e os fatos, aos poucos, começam a ganhar total clareza e entendimento.

Estão presentes na tragédia como personagens o rei Édipo, o Sacerdote, Creonte, Tirésias, Jocasta, um Mensageiro, um Servo e um Emissário. Pelo fato da peça ser tanto quanto curta, não há muitos fatos a serem citados por aqui, caso contrário, faria com que todos se desanimassem em ler tal tragédia…  Entretanto, há um fator que gostaria de ressaltar com relação a mesma, um fator que, ao meu ver, os deixariam interessados o suficinete para conhecê-la um pouco mais!

Estou prestes a citar aqui algo que provavelmente algumas pessoas tenham conhecimento a respeito. Obviamente, alguns de vocês já ouviram dizer ou já leram algo a respeito sobre o “Complexo de Édipo”, um termo utilizado na Psicanálise que, de acordo com Freud, é quando a criança chega no estado sexual fálico e então, passa a ter o discernimento dos sexos. Para conceitualizar tal fato psicanalítico, Freud tomou como base a tragédia grega do Rei Édipo, o que o ajudou a caracterizar o complexo em questão.

Seria complicado e sem graça explicar por meio de uma síntese, grande parte das causas do Complexo de Édipo, mas, particularmente, após a leitura da tragédia, me interessei muito pelo assunto e eu, com toda a certeza, indico a todos vocês essa maravilhosa peça! Tenho certeza de que não irão se arrepender! Me diverti muito, e espero que se sintam instigados a ler depois de toda essa minha descrição!

Uma boa leitura a todos!

Deixados para Trás – Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins

Deixados Para Trás - Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins
Deixados Para Trás – Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins

Eis que o fim dos tempos chega, num voo alguns passageiros simplesmente desaparecem deixando para trás todas as roupas, joias e ate mesmo aparelhos que seriam essenciais para a sobrevivência como marcapassos e próteses.

O panico é geral, aviões caíram  carros bateram e o caos foi plantado pelo simples sumiço de uma parte da população mundial, pessoas começam a inventar várias suposições do que poderia ter acontecido e como poderiam recuperar seus parentes e amigos.

Porem a justificativa é mais simples e complexa de compreender o que houve foi o arrebatamento biblio, o fim dos tempos de acordo com a religião católica esta acontecendo e a “prova” disso é que um padre que também desapareceu sabia que isso iria ocorrer e preparou um video contendo todas as informações do ocorrido, ele sabia que seria levado.

Contudo o Padre alertou sobre o surgimento do real vilão da historia, o anticristo iria surgir vindo de um pais pequeno e ele seria o real causador do sofrimento e destruição de muitos, com isso surge Nicolai.

O livro nós leva ao um mundo totalmente espiritual, apenas de conter dezenas de vezes “Jesus Cristo” e parte disso passar a ficar massante a ideia do livro é legal, o caos apresentado pelo inicio do fim é bem interessante, e a apresentação do tão temido anticristo é surpreendente. Caso se tenha paciência para uma coisa mais religiosa melosa é um bom livro, a historia é bem interessante.

Brisingr – Christopher Paolini

Brisingr - Christopher Paolini
Brisingr – Christopher Paolini

Neste terceiro livro a guerra esta em seu auge as batalhas são descritas de forma memorial, é alucinante a forma como as coisas se desenrolam. A batalha entre Eragon e seu irmão que esta sendo controlado por Galbatorix é a parte mais incrível deste livro.

Os elfos vão a guerra junto com Eragon que renasceu e se tornou algo único  meio humano e meio elfo quebrando o preconceito que sofria por parte dos que o treinavam. Até mesmo seu mestre um cavaleiro imperfeito que a muito não participava dos assuntos de fora da terra dos elfos vai a guerra juntamente com o seu aprendiz.

E claro que o livro acaba na parte mais alucinante, a historia criada é incrivelmente bem elaborada, acabamos nos apegando aos personagens de forma intima. Sem contar que o romance implícito entre Eragon e a Elfa Arya finalmente toma uma guinada diferente onde ela se abre. No final das contas Eragon conseguiu conquistar com sua força e coragem o coração da mulher eterna, da elfa que tem algumas dezenas de vezes a sua idade.

Eu recomento e muito a leitura deste porém aconselho fortemente que se tenha o ultimo da serie em mãos para não passar raiva pela curiosidade.