Diário de um skinhead – Antonio Salas

Diário de um skinhead - Antonio Salas
Diário de um skinhead - Antonio Salas

Um dos livros mais interessantes que já li, o livro mesmo sendo massante se torna muito interessante, pelo fato de que o  autor simplesmente se infiltra entre os skins e filma tudo como tiger88.

Os neonazis são doentes, e o autor tem uma visão ampla sobre esse assunto, e por isso  liga os fatos e corre atrás das pessoas mais influentes do neonazismo espanhol. Incrivelmente ele  conseguiu em menos de um ano,  conviver com os principais líderes, presenciar e filmar as “caçadas” e ainda assim sair ileso da infiltração. Podem falar o que quiser sobre Antonio Salas, mas pra mim o cara tem muita coragem.

Outro ponto bem interessante do livro é a participação dos neonazistas brasileiros, que nada mais é do que ignorância do povo, porque para os espanhóis, os sul americanos também não passam de “subumanos”, além de outro fator que todos nós sabemos somos uma raça totalmente mixegenada!

Apenas uma falha no livro seriam as terminologias utilizadas, skinhead não significa neonazistas isto foi uma idéia erroneamente difundida pela mídia tanto que o própria termo skinhead tem origem na jamaica … Porém como a idéia do blog não é a discussão do meu ponto de vista sobre o movimento skinhead e sim sobre LIVROS para mais informações consultem o link http://pt.m.wikipedia.org/wiki/Skinhead

Bom,  leiam o livro somente assim pra ter uma ideia do que os skinheads pensam e como temos de tomar precauções com a propagação deles pelo mundo, apesar de algumas  falhas como: nomes demais,  ou até mesmo erros de tradução, ainda assim dá para aprendermos de forma clara sobre o poder da “propaganda” neonazi e a “lavagem cerebral” que é a sua consequência.

Abraço

Anúncios

A menina que roubava livros – Markus Zusak

A menina que roubava livros
A menina que roubava livros - Markus Zusak

A menina que roubava livros é dos possíveis novos Best Seller’s,  este livro conta a história de uma pequena alemã, na época da segunda guerra mundial, mostra a visão da pequena garota com a confusão e violência da segunda guerra. Liesel Meminger (o nome dela) perdeu a família e começou a ser criada pela família Hans, outro fato bastante interessante é que durante todo o livro não deixa claro se a menina é realmente alemã, umas vez que no início do livro a mãe dela está em fuga.

Os principais pontos interessantes deste livro na minha opnião são:

– a narradora da história, a morte,  que conta sobre como conheceu Liesel e a reencontrou mais 2 vezes;

– os momentos históricos que são mostrados no livro, tais como bombardeios e etc;

– a visão que o livro mostra sobre que nem todos os alemães sabiam o que acontecia com os judeus, e muito menos concordavam com o que acontecia.